quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Eu, o Djaniny, e o G. D. Velense

(clicar para ampliar)

É fácil tirar conclusões quando se está na posse de todos os dados.

- Comecei a jogar futebol, em clubes, nos iniciados da minha freguesia. Era avançado e marcava que me fartava.

- Um ano e meio depois, acabou o futebol da minha freguesia. Fui contactado pelo Grupo Desportivo Velense. Fiquei feliz da vida quando meu pai deu o aval. Era, e é, o maior e melhor clube da ilha. Isto por muito que o rival dê coices. 

- No Velense, recuei para Médio Centro, embora variasse entre interior direito e interior esquerdo. Na altura só chamávamos, médio direito e médio esquerdo. Continuava a marcar alguns e bons golos.

- Mais tarde, talvez por falta de "nota artística" no meu futebol, recuei para Trinco. Era um pronuncio do que aí vinha. Ainda assim marquei alguns golos. 

- Nos últimos anos, mais uma alteração táctica. Recuei para central. Se calhar faltava ali qualquer coisinha além da dita "nota artística". A central ainda disfarçava muito, mas aquele recuo...

- Aos 16 anos, ainda no Velense, comecei a jogar alguns, aliás muitos jogos pelos seniores. Aí jogava em qualquer lugar defensivo que fosse preciso. Era uma espécie de "tapa buracos" no clube. Um polivalente. Assim um pouco à laia do Rúben Amorim no Benfica. Só isso diz muito da minha qualidade futebolística, ou falta dela. Assim à laia de Rúben Amorim. Se é que me entendem.

- No 12º ano desisti do futebol. Era preciso entrar na universidade. E nos seniores levava muita porrada. Isto, uns 6 anos após começar a jogar por clubes da terra. Era assim uma espécie de desculpa para o óbvio.

Agora perguntam-se vocês, mas que raio tem isto a ver com a imagem colada acima. Ora muito bem, tem tudo a ver meus caros amigos e raros leitores. 

- Onze anos após ter desistido do desporto rei, começou a jogar no Velense um miúdo de 18 anos chamado Djaniny semedo.

- Djaniny precisou de 2 épocas no Velense para dar o salto para a primeira liga, representando agora o União desportiva de Leiria. 

- Pelo que se lê, parece que o miúdo, agora com 20 anos, já faz parte dos planos de clubes espanhóis, bem como do clube do "meu coração" e de mais uns quantos milhões, o Sport Lisboa e Benfica. Que por acaso também é o clube de coração de Djaniny. 

E tudo isto para dizer o quê? Que com estes dados, só posso concluir que para ser jogador, basta ser bom. Pois quando se é bom, qualquer clube da terra serve para se ir longe. Que sirva de lição, para muitos miúdos da terra, desta e de outras, que com talento e trabalho se chega lá. O resto são desculpas e, está na hora de acabar com as minhas. Não dei jogador por falta de jeito.

Ainda assim, é de salientar que joguei no mesmo clube que o Djaniny semedo. Embora que em alturas diferentes. :P

2 comentários:

Tite disse...

Já que o meu amigo Leão aqui dos Eternos Rivais "basou", sou obrigada a desejar a ambos por intermédio da amiga Águia um Santo e Feliz Natal na companhia dos que mais amam.

Até para o ano!

Abraços Natalícios

PS - Escusado será dizer que hoje vamos tentar tudo para fazer com êxito o Caminho Marítimo para o Jamor :-)

Germano Bettencourt disse...

lol...

Obrigado Tite.

Retribuo depois no teu blog.