terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Cabelo para jogar num Benfica, qualidade futebolistica para um Sporting

Se tivesse de me definir enquanto jogador nas camadas jovens em poucas palavras, penso que escolheria as do titulo. Uns dirão que sou um abusado na minha própria definição enquanto jovem atleta, pois o cabelo não seria assim tão... extraordinário, outros dirão que sou louco, só de pensar que tinha apenas qualidade para jogar num Sporting. Aos primeiros só digo, estão errados, o cabelo é magnifico. Aos segundos dou o beneficio da dúvida. Aliás, confirmo, a razão é bem capaz de estar do vosso lado.

Durante muito tempo olhava para as minhas fotos de infância (teenager) com vergonha. Não era vergonha de quem fui, nada disso. Era aquela vergonha normal de quem olha e pensa, Jasus, usava-se aquilo assim naquela altura?!?! Hoje, mais concretamente depois do inicio da época passada, comecei a olhar para aquelas fotos com orgulho. Não digo todas as fotos, mas pelo menos aquelas em que usava uma camisola listada de preto e branco. Obviamente que numa foto em família com uma camisa abotoada até ao pescoço - e sim, usava-se naquela altura - pareço um parolo, mas numa foto com aquela camisola listada, calções pretos, meia preta e umas chuteiras nos pés, o orgulho invade-me a alma, e na cara rasga-se-me um sorriso de orelha a orelha. Eu naquelas fotos, mais que qualquer tecnicista, sou "o" craque.

Lembro-me que jogava a trinco, e mais tarde a defesa central. Nunca fui grande jogador, mas cumpria. Não sei se por isso, se por ser bom rapaz, ou mesmo por falta de alternativas, era titular numa equipa de jovens promessas. Curiosamente nenhum de nós como promessa futebolística. Talvez o nosso "pulga", que me mostrou a foto em baixo (FaceBook), mais novo que eu 3 anos, tivesse alguma qualidade "extra", o que fez com que enquanto estudante universitário, jogasse no Futebol Benfica, e mais tarde na primeira divisão angolana de futsal, onde foi campeão nacional, e onde chegou a perder com o meu Benfica (4-2 ou coisa parecida). Eu podia não ter essa qualidade "extra", podia não ser um craque "futebolisticamente" falando, mas tinha pinta para as fotos. Lembro-me de certo jogo, quando já jogava a central, de ao intervalo, o treinador se virar para os colegas (trinco e outro central) e dizer para estarem atentos às minhas progressões com bola no terreno. Curiosamente não me proibiu de subir, isso deve querer dizer alguma coisa. Hoje que penso nisso acho piada e imagino novamente o momento na minha cabeça. Eu se calhar era assim... uma espécie David Luiz mas com "um pouquinho" menos qualidade. Mas quando posava para a foto... ui... na foto eu era um Witsel ou um Aimar, e é isso que me enche de orgulho.


(Clicar para ampliar e descobrir onde está o Wally)

2 comentários:

Ricardo disse...

Será que o reforço de inverno é o Wally?! Faltou a referencia ao clube da camisa preta e branca para conhecimento da blogosfera.
Saudações desportivas.

Germano Bettencourt disse...

Não, este Wally já pendurou as chuteiras há muito tempo atrás.