segunda-feira, 27 de maio de 2013

Dos Açores ao Jamor





Quando há 3 meses reservei, não o Marquês, mas passagem aérea de S.Jorge para Lisboa, ainda nem tinha assegurado a final do Jamor. Faltava a 2ª-mão das meias-finais. Mas eu acreditava. Não me venham com falsos moralismos sobre falta de humildade, presunção ou arrogância. O Benfica há 3 meses jogava bom futebol, estava melhor que nunca, e vinha de uma vantagem de 2 golos em casa do adversário. Eu simplesmente acreditava. Quem, de outro clube qualquer, disser que se fosse com ele, e nas minhas circunstancias, agiria de forma diferente, então das duas uma, ou estaria a ser hipócrita, ou não ama o seu clube. Acreditar não é arrogância. Acreditar é ter esperança. Toda a critica que leio/ouço a falar de arrogância Benfiquista só me merece uma gargalhada de desdém. 

Quando cheguei ao Jamor, percebi logo que por muito bonita que fosse a festa da taça, e é, já nunca seria a mesma coisa. Faltava algo. Faltava quase tudo. Quando estamos longe como eu, apercebemos-nos do vazio de uma forma diferente, porque é mais fácil desligar. Mas lá, no meio da nossa segunda família, sentimos. Lá, não consegues desligar. Eu sabia que a taça nunca salvaria uma época dramática. Uma época em que acreditei mais do que nunca no sonho. Mas naquele momento senti, que por muito que não fosse a mesma coisa, era mais importante que nunca ganhar. Era importante ter algo a que me agarrar para me recordar desta época. Mesmo que no final, o vazio continuasse lá, porque, como disse, jamais seria a mesma coisa.

Não vou falar dos 90', que foram do mais pobre que vi esta época ao Benfica. E logo no Jamor. E logo num jogo que deveria ser especial para todos, adeptos, jogadores, treinadores e dirigentes. E logo num jogo em que eu lá estava. Um jogo em que foi uma maratona para arranjar bilhete. Um jogo, em que o Açoriano acreditou, marcou férias, viajou, e no final...

Foi a estocada final numa época que podia ser perfeita. Mas não foi. Também não foi o oposto. Foi negativa porque nada ganhamos. Estamos melhor que há alguns anos atrás, mas na prática (títulos), e para já, significa pouco, muito pouco. Esta época merecíamos mais. Merecíamos muito mais. Merecíamos tudo. Colhemos muito pouco. Pelo que alguns fizeram dentro de campo, e pelo que outro fizeram fora dele, nenhum verdadeiro Benfiquista merecia uma recta final destas. Mas eu destaco dois. Os 2 que se seguem na foto abaixo.

Se valeu a pena o esforço para ir ao Jamor? VALEU. Por ti Benfica, vale sempre a pena. Nem que seja para te ajudar a levantar quando cais de joelhos. 



5 comentários:

POC disse...

Um abraço, és dos bons.

Simoes Galrinho disse...

Faz bem ler uma prosa assim. Parabéns.

king disse...

Eu estava do lado oposto. Vi melhor os golos que tu. Infelizmente... Ganhamos para a próxima. Abraço

Germano Bettencourt disse...

Um abraço aos 3.

O espírito só pode ser um, pelo Benfica, sempre.

Vítor Marcelino disse...

O Matic ta de saltos altos? :D
Bom post. Sempre valeu a pena hein...:D