domingo, 12 de maio de 2013

Rescaldo de uma noite dolorosa

Deixem-me estar de luto. Respeitem o meu luto. Não me tentem animar. Não vale a pena. Eu sei que é de boa vontade, mas duvido que responda no mesmo diapasão. Não é maldade. Perdoem-me. A verdade é que fiquei de rastos ontem. Eu sei que é só um jogo. Eu sei que há coisas mais importantes. Mas peço respeito pelo meu luto. Afinal de contas, há doenças para as quais não há cura. E o Benfica, mesmo nos maus momentos, é a melhor doença do mundo. Que sentido teria esta vida, se não tivermos um leque abrangente de emoções. São as sensações que levamos daqui. O resto é pó.

Feita a introdução ao meu estado de espírito, permitam-me algumas reflexões. Provavelmente não serão as mais inteligentes da minha pessoa, pois a dor ainda cá permanece, mas serão certamente sentidas. 

Quero começar por falar do jogo de ontem. Não culpo Jesus (e hoje chamo-lhe novamente Jesus). Na minha humilde opinião, montou a equipa que tinha de montar. Não critico as substituições. Acho que com elas, na segunda parte, tornamos o Porto mais inofensivo. De bola corrida, lembro-me de 2 lances. Um em fora de jogo de James (dejá vu), e o lance do golo. Se tivéssemos chegado ao final do jogo, e segurado o 1-1, nesta altura estaríamos a congratular Jesus pelo pragmatismo com que encarou o jogo. Como aquela bola entrou no final, todos criticamos a entrada do Roderick. Sou muito sincero, também preferia que, em vez de Roderick, tivesse entrado o Javi Garcia ou o Witsel. A diferença do jogo, para além da posse de bola consentida, e em 80% do tempo sem resultados práticos (lances de relativo perigo), esteve num pormenor. Helton fez a defesa da noite a remate de Cardozo. Artur não foi capaz do mesmo a remate de Kelvin.

Aos Portistas que hoje me gozam, brincam, e em alguns casos, achincalham, faço um sorriso amarelo, de quem sabe que, apesar de ter perdido, se sente orgulhoso de ser Benfiquista. De quem sabe que é superior. Mas de quem também reconhece, que ainda falta subir alguns degraus para voltar a ser o que desejamos.

Aos Sportinguistas que ontem festejaram o golo do Kelvin, rasgo um sorriso, mas desta vez de compaixão. Oh tristes figuras fazem eles. Compreendo que se deseje o mal do rival. Mas a questão que coloco é, ontem não estariam a jogar 2 rivais? Dizem eles, que passaram a época toda a ser gozados pelos Benfiquistas. Que hipócritas. Se fosse o Sporting no lugar do Benfica, alguém acredita que não nos gozariam? Rivalidade é isto. Hipocrisia é pensar o contrário. Compreendo a rivalidade, mas tenho compaixão pela não percepção da realidade. Ontem foi o culminar do dia mais negro da história do Sporting. Mesmo assim conseguem gritar pelo GOLO de quem, nos últimos anos, se aproveita das suas fraquezas, para roubar o Moutinho, o IzmaYlove, e no final, sacar de um Liedson só para ferir o orgulho Sportinguista... não é rivalidade, é não ter percepção da realidade. Só posso ter compaixão. O meu grande rival é o Sporting, e é essa a razão de ser deste blogue, mas o meu inimigo é outro. Todos nos acusam de sermos arrogantes. "Os Benfiquistas são arrogantes", dizem eles. Outra vez hipocrisia. Todo aquele que ama o seu clube, que sofre e que vibra, é a dada altura, arrogante. Antes arrogante, que pequenino. Arrogante é amor próprio. Pequenino é falta de amor próprio. Vejam o video que deixo em baixo. Aquilo é ser pequenino. No entanto quero dar os meus parabéns aos verdadeiros Sportinguistas. Aqueles que tanto se lhes fazia perder um rival ou outro, porque o que lhes importa é o Sporting, e àqueles que apesar da rivalidade, conseguem compreender o mal que Pinto da Costa lhes tem feito, e até preferiam a vitória do Benfica, eu conheço alguns. São eles que ainda vão mantendo o Sporting entre os grandes. Não se deixem minar pelos pequeninos.

Aos adeptos Benfiquistas que ontem, madrugada adentro, esperaram os nossos jogadores, e juntos, cantaram o Hino do Benfica, o meu obrigado. Ontem, cantaram por mim. É hora de mudar o chip. E esse foi um primeiro passo.

Quero também dar os parabéns aquela equipa, que foi provavelmente a melhor ao longo de todo o campeonato. O Benfica, para garantir os 3 pontos, teve de lutar com todas as suas forças contra todos os adversários. Não me lembro de 1 que nos tenham facilitado a vida. O Benfica, ao longo de toda a época, num jogo menos conseguido, ou tem a sorte de ganhar, e sublinho sorte, ou perde pontos. Depois, existem outros clubes, cujos ex-jogadores, são directores desportivos ou treinadores dos adversários, ou então partilham do gosto refinado por "casas de alterne". Não é senhor Rui Alves? Presidentes que promovem jantares entre outros presidentes e presidentes regionais, que por sua vez partilham de populismo bacoco, que permite que andem à solta. Tudo isto num dia antes de um jogo entre essas 2 equipas. Um jogo, em que um treinador, arqui-inimigo de JJ, resolve deixar 3 dos mais influentes e habituais titulares no banco. Treinador esse, que no  fim-de-semana em causa, diz adeus à Europa do futebol nesse mesmo jogo, mas que durante a semana seguinte é presenteado com renovação de contrato.

Com o paragrafo acima, não quero tirar o mérito a quem soube aproveitar os momentos para ganhar. Quero com isto, apenas ENALTECER ainda mais a minha equipa, o meu Benfica, pela grande luta que proporcionaram. Parabéns Benfica. Foi uma luta bonita. Uma luta, que a meu ver, merecias ganhar. Uma luta que em nada, nem nunca, deve envergonhar os Benfiquistas. Dói perder o titulo a uma jornada do fim, e logo contra um rival. Mas nunca deve ser encarado com vergonha. Vergonha é perder o titulo no natal, ou mesmo ainda no inicio da época. Vergonha, é não estar nas decisões.

A dor é grande, mas o futuro só pode ser risonho. Merecemos.


4 comentários:

Vítor Marcelino disse...

Colega de escrita...favor não generalizar os Sportinguistas faz favor!

Germano Bettencourt disse...

Eu não generalizei. Falei de 2 grupos. Os grandes, e os pequeninos.

Júlio Maciel disse...

Concordo com tudo o que foi escrito aqui sem excepção. Mas eu acho que perdemos o campeonato com o Estoril, aquele empate com sabor a derrota deixou-me pessimista e durante toda a semana disse que o benfica ia perder... Fui criticado por todos, tanto benfiquistas como portistas mas não me enganei, por 2 minutos, quando já acreditava que seria possível. Isso foi a pior parte. Fiquei de rastos, sem ar, amarelo, branco... Hoje, hoje andei tão mal que tentei de tudo para me animar e nada serviu, estava tão desolado que até ia tendo um acidente hoje, e amanhã, no trabalho, já sei que me vão lixar a cabeça o dia todo, o dia vai ser longo... Pelo segundo ano consecutivo perdemos o campeonato nas últimas jornadas para aquele clube que não olha a meios para atingir fins e vive para nos odiar. É muito injusto, só queria que houvesse uma surpresa na última jornada, merecíamos isso, mas até aí tivemos azar, o Paços não precisa do da vitória... Mais vale nem colocar essa hipótese. Apesar de tudo, viva o benfica, já foi derrubado mais um dos pilares da corrupção, para o ano há mais.

João disse...

Oh Bettencourt ( até tens nome de Sportinguista :p ) esta semana fiquei sim fodido porque pior do que um empate com sabor a derrota, é ganhar e mesmo assim não se atingir os objectivos.

Como já disse anteriormente a vitória de qualquer um dos clubes para mim era indiferente, mas queria mais a derrota dos de azul do que dos de vermelho.

Agora oh Germano, mesmo em maus lençóis como o benfica também já esteve, não és capaz de dizer que não gostavas de ver o Sporting derrotado, é impossível, dá sempre aquele gozo ver o nosso rival ficar fodido em todo lado.

E sim a fanfarronice e a garganeirice lampiã (atenção disse lampiã e não disse benfiquista, são coisas diferentes) que se deu nas últimas semanas mereceu alguma desta angustia, apesar de ainda poderem ser campeões.

A cena de há 3 anos atrás terem posto as faixas do reservado em todo lado até teve a sua graça, agora o pintarem monumentos públicos com isso? É muito bem feito que tenha feito isso esteja com um meloal do tamanho da reta do Porto Alto!